quinta-feira, 8 de março de 2018

Dias da mulher...


Como é este, também o são os outros, ... dias da mulher!
Eu sei, é para destacar e lembrar alguns, neste mundo machista, ... para marcar uma diferença!
Como casal, nunca apontamos diferenças disto ou daquilo: "que eu faço a lida da casa, tu fazes aqueloutro, que eu viro cabozes e tu sicranos"... repartimos as coisas, é mais fácil. Há aquelas querelas de casal, quem as não tem, mas diferenças por ser macho ou fêmea, ... nunca! Faço e ajudo no que sou capaz, o mesmo na cara metade; se não consigo, faço o que posso e sei, ponto parágrafo.
As minhas marias, põem-me louco, mas penso que seja esse o seu papel neste mundo, com a agileza da sua beleza, do seu mexer, do seu tornear de palavras, enfim ... com os seus atributos: cumplicidade, paixão, conforto, segurança, felicidade, compreensão, aquele ar sexy, ousadia, o olhar de "boazuda" e sobretudo muito amor...
Aos dias delas... ao que somos sem elas!



segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Liberta a mente, ... agarra o teu espírito!


... liberto-me da árvore do passado...
... anda muita coisa atravancada!
... coisas, mesquinhices, empilhadas em desordem, que me ocupam, sem valor!
... protejo o que é mais rico de uma vida: amigos, sorrir, amor, felicidade.
... abro a caixa, tapada nem sei porquê!
... aceito o rodeio, o travo, levanto a âncora ...
... o vento flui, empurra, orienta-me para um horizonte que é!
... o céu é o limite, a terra tem aroma de nova decisão.
... a pessoa é o que sempre foi, liberta a mente, limpa o sótão.
... agarro o que já é meu.

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Bafejo de inspiração...


Jasus! Há quantas luas não punha aqui os cotos...
Por vezes é do tempo, do vagar, ou da preguiça.
Ela por aí anda; falta é sentar, parar, sentir, e soltar o deixar levar...
Cá estou de volta, com ela, prometo... "taco a taco", de caneta em riste.

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Licantropo ocioso ...


O Luar, perfurava a janela numa claridade silenciosa e incomodativa...
O ranger da cama, entoava no quarto esconso, em tom de espertina. ... o canastro retorcia de um para o outro lado, numa mística dança metamorfósica, ... ora estirado, ora fetal.
Os pelos eriçavam-se, por alguma frialdade da madrugada, que enchia silenciosamente a penumbra ... aconchego as cobertas.
O travesseiro lutava, para aconchegar a cachimónia... As unhas arranhavam os lençóis, numa desesperada fuga, tentando ancorar finalmente num descanso.
O zumbido subia gradualmente, entrando já no sonho, atormentando o sono.
"Desliga o despertador!" disse me ela, virando costas em conchinha.
"Arghhhhhh!" lancei um braço, para inibir o zumbido...
"Levanta-me esse coiro!" pensei eu, num entorpecido contorcer matinal, estalando e repondo as articulações do animal vertebrado.
5:40 hh:mm ... que noite de lua cheia.

terça-feira, 9 de maio de 2017

Rimas a saca-rolhas... #or


"Ai, amor!
Sinto a dor,
de me levantar num ardor,
deste sofá, e ir ao refrigerador,
buscar uma bejeca de fresco sabor!
Fazes-me esse favor?"
Olhando com furor,
responde com rubor:
"Não estou de bom humor!
Limpa-me esse ocioso suor,
Com algum vigor,
Que não suporto este calor,
E traz me uma também, ... andor!"



quinta-feira, 4 de maio de 2017

A Primavera e o amante...

Couple Hugging : Foto de stock



A Primavera anda enamorada, ... cabeça perdida diria.
Em noites quentes, veste-se de ousadia curta, e sai ... ilude e embrulha o Verão, numa paixão, entre copos, becos e danças, que flui em beijos linguados, e calorosos apalpansos ... a noite desvanece, entre corpos suados, na cama.
No dia seguinte, chora, recatada no ombro do Outono, junto á lareira crepitante do Inverno, com uma malga quente de trovoadas, ... o Verão partiu de novo para os trópicos!
Não há quem perceba, a sua paixão!